/* Google Analytics */

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Anjos do Brasil na Estrada, participação em Natal.



No dia 07 de abril, a Anjos do Brasil apoiou a primeira edição da Rodada de Negócios e Mentorias para Startups do RN realizada pelo Sebrae RN.

A proposta da rodada é fomentar negócios entre quem tem projetos inovadores e empresários já estabelecidos que desejam apostar em novas ideias. Ao todo, 18 empreendimentos digitais participaram do encontro, que proporcionou a potenciais empresários um contato direto com empresários e investidores com ampla experiência no mercado local.

A Anjos do Brasil tem parceria estratégica e relevante com o Sebrae, pois acredita que trabalhos como esse de capacitação tanto para empreendedores quanto para investidores contribui para o desenvolvimento do ecossistema empreendedor local e nacional. “Esse trabalho que o Sebrae dá às startups, por exemplo, é muito importante e não traz apenas retorno econômico para os investidores. Mais que isso, gera também um grande impacto positivo para a sociedade”, afirma Maria Rita Spina Bueno, diretora da Anjos do Brasil.
Além da rodada, as startups ainda serão acompanhadas, ao longo do ano, pelo Sebrae com capacitações e palestras. “Nossa proposta é estimular os potenciais empreendedores a permanecerem no mercado com segurança e conhecimento”, destacou o gestor do Projeto de Tecnologia da Informação e Comunicação (Protic) do Sebrae-RN, Carlos von Sohsten.
 A Anjos do Brasil também realizou um encontro com investidores anjo locais, liderados por Rogério Rondon, líder do Núcleo Anjos do Brasil RN, assistiram a apresentação de alguns pitchs de startups selecionadas, com potencial de realização de investimento anjo, e também trataram do processo de investimento.
Se você é investidor, e tem interesse em participar de nossa rede e de outros encontros como esse, cadastre-se aqui.
Se você é empreendedor e quer nos enviar seu projeto, clique aqui.
 Achou este post útil? Copartilhe com seus amigos e conhecidos, bastando clicar nos ícones do twitter, facebook, etc. abaixo.


quinta-feira, 9 de abril de 2015

Entenda as questões societárias entre fundadores e colaboradores


Dizem que o relacionamento entre sócio-fundadores e colaboradores pode ser mais complicado que um casamento. A convivência nem sempre é fácil. Os problemas surgem desde a escolha da pessoa certa, passa pela divisão de responsabilidades e lucros e chega ao momento de separação. Como lidar com isso tudo ? A seguir vamos analisar alguns pontos fundamentais para garantir o sucesso dessa parceria.
1. Como escolher a pessoa certa para ser um co-fundador de sua startup
A primeira coisa a fazer é definir “o que” e “quem” você precisa. Não adianta ter alguém ao seu lado que saiba fazer as mesmas coisas que você. É preciso que você e o seu sócio tenham objetivos comuns, mas habilidades complementares. Defina quais os seus pontos a desenvolver (as habilidades que te faltam, mas que são importantes para o negócio): na administração, na contabilidade, na parte tecnológica, no marketing? Busque por alguém que seja forte nessas áreas.
2. Onde encontrar esse sócio
O primeiro impulso é, geralmente, recorrer à sua rede pessoal. Mas será que fazer negócio com um amigo ou parente vai ser uma boa? O recomendável é que haja um nível de distanciamento, apesar de, mesmo com contratos, ser também considerada uma relação de confiança.
Ao contrário de uma empresa tradicional, startups passam por mudanças de forma muito rápida. Isso, por sua vez, gera um estresse elevado. Uma carga emocional ainda maior, como escolher familiares e amigos próximos para a empreitada, pode prejudicar a tomada de decisões. Escolha com cautela, pois o bom relacionamento é essencial. Existem várias redes sociais que fazem network entre profissionais de determinadas áreas. Faça seu cadastro e veja se encontra empreendedores com o perfil almejado, propósitos e valores semelhantes aos seus. Participe de eventos do setor (workshops, palestras, meetups) e, principalmente, peça indicações, avalie antigos colegas de trabalho. Onde você menos espera pode surgir um potencial sócio.
3. Estabeleça as regras desde o início
Direitos e deveres de cada parte devem ser estabelecidos logo no início da relação. Algumas cláusulas inseridas no contrato social podem ajudar a impor limites e direcionar as responsabilidades. O conceito de Vesting é um exemplo e significa conceder participação societária na startup após um determinado período de tempo, se respeitadas certas condições. Exemplo: as ações da empresa serão adquiridas no decorrer de 4 anos. Isso quer dizer que a totalidade das ações só será conquistada ao final desse período, desde que haja o cumprimento das obrigações. É comum também que se estabeleça 25% do acordado ao final dos primeiros 12 meses e 75% das ações parceladas mensalmente até completar o total do tempo previsto (que, geralmente, é destes 4 anos exemplificados).  
Outro conceito relevante para o estabelecimento de regras é o de Lock up, que impede a entrada de terceiros na empresa sem um acordo comum dos sócios, além do Non Compete, uma cláusula proibindo que o sócio ou funcionário se torne um concorrente da noite para o dia.
4. Definindo quotas de participação e salários
Todo risco deve ser compensado. O sócio que se dedica full time arrisca mais do que aquele que não abandonou o emprego. É justo que a discrepância seja equilibrada com um salário maior ou com maior participação nas quotas societárias.
Uma coisa é certa: se você almeja um salário próximo ao valor de mercado, vai ter que diminuir sua “fatia no bolo”. Para chegar a esses números (salários) ou porcentagem (participação), contudo, não existe uma fórmula exata. O cálculo é subjetivo e dependerá de fatores como o valor da empresa, o grau de comprometimento ou do tipo de sócio. Investidores-anjo, por exemplo, costumam esperar de 15% a 30% do investimento realizado no negócio. Colaboradores, por vezes, aceitam 10% quando não trabalham sobre a atividade fim da empresa. Tudo é uma questão de negociação: uma boa ideia x uma boa proposta, isto ajudará, inclusive, a atrair bons profissionais para compor o quadro de funcionários de sua startup engajados em vencer este desafio!

São vários os mecanismos para tornar esse relacionamento mais fácil. Não esqueça que o mais importante é a satisfação de todos os envolvidos!

E você, já utiliza destas questões societárias na relação com seus co-fundadores e colaboradores? Aproveite os comentários abaixo para esclarecer as suas dúvidas!

Achou este post útil? Compartilhe com seus amigos e conhecidos, bastando clicar nos ícones do twitter, facebook, etc. abaixo.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Encontro com Anjos do Brasil em Curitiba

A Anjos do Brasil afinou as asas e colocou rodinha nos pés.

No dia 30 de março realizamos o Encontro com Anjos do Brasil na FIEP em Curitiba.  Obrigado Curitiba pela recepção e casa cheia!








Abriram o evento, Filipe Cassapo do Senai PR e Maria Rita Spina Bueno da Anjos do Brasil, ressaltando a importância das conexões entre todos os participantes do ecossistema empreendedor para que tenhamos cada vez mais e melhores negócios inovadores no Brasil.

Em seguida Rodrigo Alvarenga , Líder do Núcleo Anjos do Brasil Curitiba, apresentou ao público o tema Investimento Anjo,  explanando sobre o perfil dos investidores e  características dessa modalidade de investimento.

No painel a seguir, dois investidores com relevante atuação no segmento de investimento anjo foram convidados a comentar sobre suas diversas experiências nessa área. Bernardo Quintão da Grow Ventures e Eduardo Wei da Sul internet deram valiosas dicas da relação entre empreendedor e investidor, ressaltaram que o perfil do time empreendedor é o item que mais analisam nos projetos, valorizando qualidades como  a capacidade de ouvir, a resiliência e a humildade.

Alcides Troller Pinto da Nox Capital incentivou os empreendedores a buscarem por inovação relevante em seus negócios e mostrou, através do case de um de seus investimentos, a Bamboo Ideias, que para investidores anjo, inovação está presente primordialmente no modelo de negócios.

Para encerrar, finalizamos o Encontro com uma palestra sobre a importância da capacitação para empreender, realizada por Maycon Stahelin, do InovAtiva Brasil. Afinal, acreditamos que tanto empreendedores quanto investidores devem se capacitar constantemente para que possam apresentar soluções cada vez mais arrojadas e consistentes.
Veja mais fotos do evento no seguinte link: http://goo.gl/Vbh3NB

E você?  Perdeu essa oportunidade de entender melhor sobre investimento anjo? Não se preocupe, caímos na estrada e tão cedo não vamos parar! Acompanhe a agenda em nosso site www.anjosdobrasil.net, ou siga nossas redes sociais para saber das próximas datas e cidades que receberão nosso Encontro!

Achou este post útil? Compartilhe com seus amigos e conhecidos, bastando clicar nos ícones do twitter, facebook, etc abaixo.

segunda-feira, 23 de março de 2015

6 Mitos sobre Investidores Anjo


O mundo dos negócios é repleto de discursos sobre o que se deve fazer para obter o sucesso ou mesmo o que não se deve executar para evitar falhas e fracassos. No universo das startups isso é ainda mais evidente, justamente por ser uma área relativamente nova no Brasil – ou por ter ganho mais destaque nos últimos anos.
Nesse sentido, é comum ouvir mitos diversos sobre a área, tanto no que diz respeito à construção da empresa ao que tange aos investimentos. Quando o assunto é  investimento-anjo, é ainda mais fácil ouvir falar sobre ações inexistentes ou que não condizem com a realidade. Conheça seis mitos:

1- Investidor-anjo investe em ideias

Todo investidor, seja ele anjo ou parte de uma grande empresa de investimentos, investe em ideias. Afinal, o início de uma startup é justamente ter uma ideia que resolva determinado problema, de um público específico. Contudo, apenas falar a grande sacada que você teve não fará com que eles invistam em você. É indispensável que você tenha, pelo menos, um MVP (Minimum Viable Product) para comprovar a capacidade de execução e escalabilidade do negócio no mercado.

2- Investidores-anjo só investem em empresas de internet

Não caia nessa! Justamente por utilizar do próprio capital para o investimento, os investidores-anjo optam por investir em empresas do setor em que eles possuem mais conhecimento para analisar melhor a viabilidade do negócio – e isso pode não ser necessariamente na internet.

3- Investidor-anjo ajuda a quitar dívidas

O investidor-anjo não tem o papel de resolver seus problemas, especialmente os passados, assim, o capital que ele aportar nunca poderá ser utilizado para quitar dívidas pré-existentes. O investimento tem como papel somar ao negócio, ou seja, fomentar a expansão. Se você pretende ir em busca de um investidor-anjo para resolver os problemas que você não souber lidar, é melhor ter um plano b em mente.

4- O investidor-anjo mandará em seu negócio

Outro grande mito! O investidor é sempre minoritário, o que não dá a ele o poder de decisão. A participação dele virá como mentoria, direcionamento e participação das decisões estratégicas, mas como parte do board, não como quem decide o rumo dos negócios.

5- O investidor que tem “anjo” em sua denominação, aceita qualquer tipo e forma de negócio

Engana-se quem associa a palavra “anjo” deste tipo de investidor a alguém bonzinho, que apoiará qualquer tipo de negócio, da forma que ele for. O investidor-anjo, assim como qualquer outro investidor, almeja o retorno sobre o investimento realizado e, por isso, avaliará minuciosamente a sua proposta de negócio antes de optar pela sua startup em relação às demais.

6- Investidores anjo na realidade são diabos, pois só querem saber de ganhar dinheiro em cima dos empreendedores

Não é porque ele não é um “anjo” que será um diabo. Os investidores querem ter tanto retorno quanto os empreendedores, mas da mesma forma que estes, também querem ter o prazer de ajudar a construir empresas transformando startups em grandes negócios!

E você, possui mais alguma dúvida sobre investidores-anjo? Aproveite os comentários abaixo e descubra se é uma verdade ou um mito!

Achou este post útil? Compartilhe com seus amigos e conhecidos, bastando clicar nos ícones do twitter, facebook, etc. abaixo .
Quer saber mais em como conseguir investimento? Aprenda mais com os livros 


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

6 Acertos que os melhores empreendedores fazem para conquistar investidores

Conquistar investidores é um processo que exige não só talento e um mercado escalável validado, mas também muita dedicação por parte dos empreendedores. Entre as atitudes que ajudam a causar uma boa impressão e, quem sabe, até motivar os empresários a investirem no seu negócio está: ter sempre todo o material necessário em mãos; ter agilidade no retorno; e, principalmente, ter o pitch adequado na ponta da língua.
Você está em busca de investidores para fomentar o crescimento de sua startup? Então confira seis acertos que os melhores empreendedores fazem para conquistar investidores:

1- Perguntar se o investidor conhece o setor e se tem interesse em saber mais sobre sua empresa

Antes mesmo de começar a fazer o pitch, empreendedores de sucesso sondam ou até mesmo perguntam ao potencial investidor se eles têm interesse na área de atuação de sua startup. Além disso, é importante avaliar também o quanto ele conhece desta área.A partir das respostas, você deverá adaptar a apresentação levando-as em consideração.
Caso o investidor não esteja familiarizado com o setor, o pitch é adequado para explicar todos os pontos básicos, como principais concorrentes, público-alvo, etc. Já para o investidor que conhece e tem interesse no setor de atuação da startup, a apresentação é direcionada para pontos mais avançados, já que o profissional está contextualizado sobre o mercado.

2- Fazer follow-up periódico

Os melhores empreendedores não deixam o contato que tiveram com os investidores esmorecer com o tempo. O processo é simples: eles separam o grupo que disse ter interesse e fazem um follow-up periódico com estes profissionais.
Uma vez por semana ou a cada 15 dias, pelo menos, ligam ou enviam um e-mail para contar as novidades da empresa e fortalecer o contato. Eventualmente, eles propõem um encontro para que a conversa possa evoluir. Esta é uma forma de manter o relacionamento sem ser insistente. Lembre-se: persistência é bom e todo o investidor gosta. Porém, haja ponderadamente!

3- Ter todo o material de apresentação e planejamento pronto

O empreendedor de sucesso sabe que a imprevisibilidade faz parte do negócio. Por isso, ele está sempre preparado para um eventual encontro com investidores. Ou seja, ele tem pronto todo o material de apresentação, assim como o planejamento do seu negócio. Ao mostrar que estar preparado e fez a lição de casa corretamente, o empreendedor já sai na frente aos olhos do investidor.

4- Ser ágil nas respostas

Para conquistar os investidores, ter agilidade é preciso. Os melhores empreendedores respondem rapidamente às questões de quem pode investir em suas empresas, justamente para demonstrar que realmente possuem conhecimento sobre o assunto.
Quando os questionamentos são simples, devem ser respondidos, se possível, em até dois dias. Questões mais complexas podem levar, no máximo, uma semana. Quanto maior a agilidade demonstrada, mais confiança os investidores terão em você e, consequentemente, maiores as possibilidades de se interessarem pelo seu negócio.

5 -Escutar feedbacks

Bons empreendedores têm o costume de perguntar sobre o seu desempenho e de escutar feedbacks dos investidores, assim como avaliar o retorno que receberam. Esta atitude demonstra que você não somente sabe como aceitar críticas, como também está disposto a evoluir. Ponto para a sua startup!

6- Ter flexibilidade na negociação

Para conquistar os investidores é muito importante mostrar flexibilidade na hora da negociação. Isto quer dizer aceitar negociar condições e valores que sejam bons para ambos os lados e deixem todos satisfeitos com o fechamento do negócio.

Comece agora a aplicar estas dicas e aguarde um retorno satisfatório! Se você tem algumas outra para compartilhar, aproveite os comentários abaixo e complemente a nossa lista.

Quer saber mais em como conseguir investimento? Aprenda mais com os livros 


Achou este post útil? Compartilhe com seus amigos e conhecidos, bastando clicar nos ícones do twitter, facebook, etc. abaixo
                                               

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Novo Investimento

A startup TraktoPRO acaba de receber investimento Anjo em uma rodada de co-investimento promovida por investidores da Anjos do Brasil.

A  TraktoPRO - Orçamentos Incríveis, (http://www.traktopro.com) acaba de fechar um acordo um um grupo de Investidores Anjo liderados por João Kepler (previous investor) para sua expansão Nacional e internacional. Em uma rodada de co-investimento, 6 Anjos decidiram aceitar e aportar conhecimento, know-how, networking e recursos.  Nesta rodada entraram os Anjos Marco Poli, Alcides Troller, Luis Rodeguero, Fernando Montovani, José Guiotti e Claudia Trotta.

O processo de co-investimento é uma operação onde o Lider investidor Anjo faz a analise da startup, o filtro, a chamada e coordena as atividades até o fechamento do Deal.


TraktoPRO

Focada em profissionais liberais, free lancers e pequenas empresas, a TraktoPRO resolve uma das principais questões comercias dos seus clientes: ORÇAMENTOS e PROPOSTAS de forma simples e profissional, auxilia o usuário a precificar o trabalho, dando a liberdade de escolha, mas calculando as margens do profissional para cada hipótese de valor para o serviço sendo orçado.

Com um design visual muito atraente e um grande cuidado com a usabilidade, o Trakto está disponível na Google Play e na Apple Store, abrangendo as duas maiores plataformas móveis da atualidade. Também pode ser utilizada pela web, mantendo a coesão das interfaces e dando ao prestador de serviço mais flexibilidade para trabalhar onde melhor se adaptar.

Os empreendedores fundadores Paulo Blob e Jorge Henrique têm especialidades complementares, e, juntos, cobrem grande parte das necessidades do atual momento da empresa, em termos de competências e equipe. O primeiro é designer gráfico, com longo histórico no mercado como freelancer, no Brasil e nos Estados Unidos, e grande experiência em vendas e precificação. O segundo, desenvolvedor de aplicativos móveis, é o responsável pela coordenação do projeto. Receberam aceleração da [Abril Plug and Play](
http://abrilplugandplay.com) e da [Plug and Play](www.plugandplaytechcenter.com) no Silicon Valley, onde os empreendedores passaram 4 meses aprendendo sobre o mercado americano, o mundo das StartUps e ampliando sua rede de relacionamentos.

Empreendedores e investidor deal leader em pé e os investidores sentados


 Quer saber mais em como conseguir investimento? Aprenda mais com os livros "Investidor Anjo - Como Conseguir Investimento para seu Negócio" e "Dicas e Segredos para Empreeendedores"

Achou este post útil? Compartilhe com seus amigos e conhecidos, bastando clicar nos ícones do twitter, facebook, etc. abaixo

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Sua Startup precisa de mais investimento? Veja como se preparar para uma nova rodada

Muitos empreendedores buscam descobrir um caminho ideal para a criação de uma startup de sucesso. Desenvolver um protótipo, conquistar o primeiro cliente, encontrar o product/market fit, levantar dinheiro através investidores, entre outras questões. Por isso, é comum também que acabem esquecendo que precisam se preparar para estágios futuros.
Ainda que seja impossível determinar claramente os estágios pelo qual cada startup passará - já que cada negócio tem suas próprias particularidades -, é possível imaginarmos que após a primeira rodada de investimentos os fundadores precisem buscar mais dinheiro para dar continuidade ao crescimento. Neste momento, muitas startups não estão preparadas por não terem se planejado anteriormente para essa nova demanda de capital.
Dessa forma, para tentar ajudá-lo a criar um planejamento de médio e longo prazo coerente, principalmente quando se trata de conquistar novos investidores, elaboramos alguns tópicos importantes sobre como se preparar para uma nova rodada de investimento. Acompanhe a seguir:

Do que preciso para uma nova rodada?

Em geral, ainda que não seja regra, há duas situações em que uma startup busca novos investimentos: a primeira é que o dinheiro anterior está acabando. Por isso, é preciso uma nova rodada para manter a empresa crescendo até atingir o break even e, consequentemente, caminhar com as “próprias pernas”. A segunda é para escalar  o negócio realizando investimentos mais agressivos que compreendam um novo patamar no mercado. Em ambas o requisito básico é que os investimentos sejam justificáveis.
Neste contexto, é fundamental que o empreendedor entenda que em uma nova rodada, os investidores, sejam eles os mesmos ou novos, não apostarão mais apenas na ideia da startup ou nas previsões de crescimentos apontadas por um MVP (Minimum Product Viable), como geralmente ocorre para um primeiro investimento. Eles querem números que demonstrem claramente o que foi conquistado até então, seja pelo crescimento do faturamento ou do número de usuários. Por isso, se o seu objetivo é captar mais recursos, esteja atento a este fator, compile e compare os dados e tenha informações pontuais que possam esclarecer quaisquer possíveis questionamentos destes potenciais investidores.

O papel dos atuais investidores

Nesta jornada, os investidores atuais terão um papel fundamental na captação de novos recursos. É preciso, antes de tudo, dar direito de preferência a eles, já que foram os responsáveis por dar a primeira oportunidade à sua startup no início, mesmo com um mercado ainda incerto.
Além disso, é muito comum que os novos investidores venham de contatos feitos pelos atuais, reforçando a importância do networking nessas relações. Os atuais investidores também participarão das decisões de valutation, já que o equity deles também será afetado.

Como conseguir mais investimento

Para conseguir uma nova rodada de investimentos, algumas questões devem ser evitadas para diminuir os problemas e aumentar as chances de se conseguir a nova rodada.
O empreendedor precisa ter em mente que esse mercado de funding é muito pequeno, logo não deve mentir ou mascarar os resultados da sua startup. Assim como na primeira rodada, uma boa apresentação, mostrando os números de crescimento e as habilidades do seu time ajudarão a conseguir mais dinheiro. Lembre-se de que um novo investidor precisa perceber claramente para onde o negócio está indo e quais oportunidades de saída ele terá. Dessa forma, crie cenários onde sua startup será adquirida por uma empresa maior ou conseguirá a entrada de novos investidores.
A última dica do processo é nunca desistir. É muito provável que você receba vários “nãos” até encontrar alguém disposto a investir. Isso é normal, mesmo em empresas que apontam crescimento surpreendentes. Contudo, mesmo que seja esta a sua situação, lembre-se que muitas startups de sucesso foram criadas através de bootstraping, onde apenas o dinheiro dos clientes financiou todo o projeto.
E a sua startup, quantas rodadas de investimento já conseguiu? Quais foram os grandes desafios? Conte-nos a sua experiência com investidores nos comentários abaixo. Vamos construir uma discussão rica para envolver ainda mais empreendedores e investidores com estes objetivos!
Quer saber mais em como conseguir investimento? Aprenda mais com os livros "Investidor Anjo - Como Conseguir Investimento para seu Negócio" e "Dicas e Segredos para Empreeendedores"
Achou este post útil? Compartilhe com seus amigos e conhecidos, bastando clicar nos ícones do twitter, facebook,google+, abaixo.